A Austrália na guerra contra o câncer de próstata

Pesquisadores australianos, da University of Adelaide, apresentaram resultados animadores combinando remédios novos e velhos. O medicamento antigo é a bicalutamida, que é uma terapia hormonal. Controla o câncer por um tempo, mas tem pesados efeitos colaterais. Entre eles: perda da libido, impotência, cansaço e fadiga, suores, perda de força muscular, alterações cognitivas importantes etc. Já sabemos que o tumor volta a crescer depois de algum tempo, que varia bastante.

O que fizeram?

Reduziram muito a dose da bicalutamida e a combinaram com dois outros medicamentos, vorinostat ou 17AAG, que potencializaram os efeitos causando menos danos colaterais. Uma das pesquisadoras, Lisa Butler, afirma que o efeito sobre a proliferação das células cancerosas foi multiplicado – em até dez vezes. No laboratório essas combinações destruiram as células cancerosas bloqueando os caminhos que elas usavam para sobreviver. Usados isoladamente, os medicamentos eram muito menos eficientes.

O proximo passo será com pacientes avançados.

Uma das virtudes do grupo reside na multidisciplinaridade, com especialistas de diferentes áreas chamando a atenção para fatores que poderiam passar desapercebidos.

Vamos ficar na expectativa.

6 opiniões sobre “A Austrália na guerra contra o câncer de próstata

  1. O que devo fazer para inscrever meu tio como voluntário em pesquisa de câncer de próstata. Moramos em Brasília e não conheço ninguém que faça pesquisa com medicamentos para diminuir o PSA dele que já está em 5.000 e faz quimioterapia, sem resultado

  2. Sao Borja 15,2009 as 22,30pm

    O que devo fazer para me inscrever como voluntário em pesquisa em tratamento de câncer de próstata.Já fiz prostatectomia radical e estou com recidiva bioquimica.
    Aguardo resposta. Luiz

    Luiz, o seu urólogo ou oncólogo talvez tenha relações com pesquisadores que estão testando novos produtos. Há listas, em Inglês, soa chamados clinical trials, publicadas regularmente pelo National Cancer Institute, nos Estados Unidos. Dá para chegar lá usando o Google.

  3. Tenho cancer da próstata com metástase. Já fiz há cinco anos, hormonoterapia, que reduziu o P.S.A., mas não parou o avançar da metástase. A seguir fiz quimioterapia, que também não parou o avanço da metástase.! Dois ou três meses depois o cancer estabilizou por dois anos e seis meses.!!! Em Setembro de 2009 ele voltou a acordar e, agora, parece que quer recuparar o tempo perdido.
    Eu me ofereço como Cobaia, para que a medicina evolua nesta ciência, e talvez, eu venha a tirar daí algum resultado.
    Acresce dizer, que eu jamais tive qualquer sintoma e levo uma vida absolutamente normal, mas agora com mais mêdo, mas sem Pânico.
    Um abraço amigo para todos aqueles que lerem esta minha reduzida confição.
    Póvoa de Varzim 28 de Março de 2010 – PORTUGAL.

    • Para quem já esgotou os benefícios da terapia hormonal e da químio há dois medicamentos recentes que ampliam a sobrevivência: Provenge (sipuleucel-T), fabricado pela Dendreon e acetato de abiraterona, agora nas mãos da Johnson. Provenge aumentou a sobrevivência aos três anos em 40% – 32% vs. 24% do grupo placebo, o que dá uma diferença de 4,1 meses. Não é muito mas, levando em consideração nossa idade e o estágio da doença tudo é lucro. A Dendreon, se bem me lembro, está fazendo testes abertos a pessoas com esse câncer em estágios diferentes. Convém dar uma olhada no site.

      http://www.dendreon.com/

      Para tal um conhecimento mínimo de busca na internet e um conhecimento de leitura em Inglês são indispensáveis. Se não souber, busque quem saiba. Perca a vergonha – afinal é o aumento da sua sobrevivência que está em jogo.

      Quem chega nos estágios avançados e não tem sintomas, particularmente dores, tem sorte dentro do azar. A maioria tem metástase nos ossos, que é muito dolorosa.

      O acetato de abiraterona já pode ser receitado em alguns lugares da Europa. Também é questão de buscar. O ganho na sobrevivência é maior, embora esteja longe do oba-oba que a mídia lhe atribuiu.

      Nenhum dos dois é “cura”. Estamos falando de aumentar a sobrevivência e de atingir o objetivo que é não morrer por causa desta besta, mas de outra causa – morrer com o câncer da próstata, mas não por causa dele.

  4. A vida é o dom maior de um ser humano, sou medico e estou com Cancer de Prostata em estadio avanzado ( teve que usar cateter intraureteral ) tenho metastasis nos ossos, teve psa em 5 000 e graça a deus estou sem sintomas e trabalho normalmente.
    Segundo o Dr Jacek Pinski ( Estados Unidos) artigo sobre o tratamento natural contra o CP) os seguintes substancia tem ação contra o CP
    a- Genistaina presente em soja, pimentao, grau de bico
    b- epigalocatequina presente em cha verde
    c- licopeno presente no tomate, melancia, mamao, laranja vermelha
    d- selenio presente em castanha, nozes , pescado,atum,mariscos,alho, cebola, brocolis e repolho
    e- vitamina e
    f- vitamina D
    meu ultimo psa abaixou para 106
    tenho 64 anos penso que qualquer sobrevida temos que “lucharla” porque a ciencia avanza e pode acontecer que amanha seja descoberto o tratamento que nos cura…..

    O caso descrito é excepcionalíssimo. O selênio existe em ampla quantidade nas castanhas do Pará – cuidado porque em grande quantidade é um veneno. A vitamina E e o selênio, a crer na pesquisa SELECT, não ajudam a curar o câncer da próstata. Porém, outras pesquisas menos elaboradas (Fase I e Fase II) demonstram o contrário. O autor tem toda a razão ao afirmar que temos que lutar pela sobrevivência, ela não vem de graça…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s