A QUALIDADE DA VIDA DOS IDOSOS

Com a idade, aumentam os problemas com a saúde física. Até que ponto a saúde física afeta a qualidade da vida (QdV)? Como a saúde física com outras variáveis que também afetam a QdV? Halvorsrud e Kalfoss estudaram idosos e idosas na Noruega para responder a essas perguntas.[i] Usaram dois grupos estratificados aleatoriamente como populações a serem comparadas: deprimidos (74 pessoas) e não deprimidos (356).[1] Os resultados são interessantes.

A qualidade da vida dos não deprimidos dependia da saúde física, da saúde psicológica e de perdas. A intimidade com outrem influenciava a QdV nos dois grupos. Para os deprimidos, porém, outras condições e variáveis eram mais importantes, particularmente sentir intimidade em relações, definida como oportunidades de dar e receber amor. Surge a solidão em sua forma mais cruel – a impossibilidade de dar e receber amor. Sublinho que os respondentes não estavam internados e moravam em seus lares, ou seja, é possível sentir muita solidão em sua casa – e eu acrescentaria, em suas famílias. É uma circunstância que não pode ser ignorada no tratamento e na prevenção da depressão.

GLÁUCIO SOARES IESP-UERJ


[1] A depressão foi medida por uma escala padronizada, a Geriatric Depression Scale-15.


[i] Halvorsrud L. e Kalfoss M. Exploring the quality of life of depressed and nondepressed, home-dwelling, Norwegian adults, em Br J Community Nurs. 2016 Apr;21(4):170, 172-7. doi: 10.12968/bjcn.2016.21.4.170.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s