O porquê da contraprova independente

Anderson Silva tem razão em pedir que a contraprova seja feita em outro laboratório porque é mais difícil que laboratórios diferentes e independentes. Laboratórios erram.

No site

http://www.corpus-delicti.com/forensic_mis.html

sob o título FORENSIC MISADVENTURES há uma extensa A lista inclui a função de quem errou e o dano causado. Como se não bastasse, Confiram o caso horripilante do químico Fred Zain quem, intencionalmente, fraudou laudos judiciais que ajudaram a condenar 134 pessoas.

Era químico, contratado pelo West Virginia State Crime Lab em 1977. Chegou a ser considerado competente, um técnico que resolvia casos difíceis. A saga ficou azeda quando, e de serologia e teste de manchas sanguíneas. Em 1993, o juiz James Holliday informou que Zain tinha cometido vários erros e até fraudado laudos que condenaram erroneamente, pelo menos, 134 pessoas. Todos os casos com laudos de Zain foram anulados. Ficou claro que Zain tinha um ódio punitivo e não funcionava como técnico, condenando, antecipadamente, quem estava sendo julgado. O juiz definiu os laudos de Zain como “inválidos, não confiáveis e inadmissíveis”.

Laudos múltiplos e independentes, por pessoas competentes, reduzem o risco de erro por simples razões que as probabilidades são combinadas.

Não significa que afirmo que Anderson usou/não usou os ingredientes proibidos, mas que tem direito a contraprova independente. Há razões científicas para o direito de exigir que a contraprova seja feita por outro laboratório.

Gláucio Soares

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s