Por que cresce a violência no Brasil?

 

Estudo esmiúça por que cresce a violência no Brasil

Sociólogos defendem que opor prevenção e repressão é um obstáculo à eficácia de políticas públicas de controle da criminalidade

O Brasil está entre os países mais violentos do mundo. A ocorrência cotidiana de homicídios e assaltos atinge patamares inadmissíveis. E essa violência cresceu nas últimas décadas, sem dar sinais de trégua. O mais intrigante é que a deterioração da segurança pública na sociedade brasileira está acontecendo paralelamente a significativos avanços nos indicadores socioeconômicos, especialmente a partir dos anos 2000. Diminuímos a pobreza absoluta, o acesso à educação básica se universalizou, o acesso dos jovens mais pobres à universidade foi ampliado, a taxa de analfabetismo diminuiu, a esperança de vida ao nascer foi incrementada e até a desigualdade na distribuição da renda nacional diminuiu. Alçamo-nos à posição de sexta economia do planeta, a inflação permaneceu relativamente controlada, o desemprego e a informalidade no mercado de trabalho caíram.

Por que cresce a violência no Brasil?
Livro recém publicado, novinho, saído do forno, dos queridos Glaucio Ary Dillon Soares e Luis Flávio Sapori.

http://grupoautentica.com.br/fique_por_dentro/releases/estudo-esmiuca-por-que-cresce-a-violencia-no-brasil/265


Estamos vivenciando uma situação inusitada: há menos pobres e mais crimes. Como explicar esse aparente paradoxo? Como é possível uma sociedade que reduz a exclusão social sofrer com o recrudescimento da violência?

A proposta do livro Por que cresce a violência no Brasil?, dos sociólogos Luís Flávio Sapori e Gláucio Ary Dillon Soares, lançamento da Autêntica Editora em parceria com a Editora PUC Minas, é oferecer respostas a essas indagações. Na verdade, não se trata de um paradoxo. O argumento defendido pelos autores, dois dos maiores especialistas da área no Brasil, é que a dinâmica da violência na sociedade brasileira não é mera derivação da dinâmica da estrutura socioeconômica. “A violência crescente nas cidades brasileiras está relacionada mais a fatores internos do que a fatores externos ao país. São nossas próprias mazelas sociais que estão interferindo na dinâmica do fenômeno. Esqueçamos a ação imperialista, o ‘demônio neoliberal’ e a globalização. Debruçar-nos sobre as contradições de nossa sociedade é um bom começo para explicar, entender e reverter o crime e a violência”, explicam os autores.

Para eles, o pretenso antagonismo entre prevenção e repressão constitui um sério obstáculo à eficácia e à eficiência das políticas de controle da criminalidade. “O debate está contaminado de conotação ideológica, atrelando-se as políticas repressivas ao ideário da direita, ao passo que as políticas preventivas seriam a expressão das posições políticas da esquerda. E quando é percebido nesses termos, o diálogo torna-se ainda mais difícil, separando ainda mais o que poderia ser articulado. À medida que prevenção e repressão são concebidas como polos opostos e excludentes, reduz-se a capacidade do Estado em prover segurança com efetividade”, afirmam.

Podemos reduzir a violência e nos tornar uma sociedade mais civilizada e pacífica se formos capazes de formular e implementar políticas públicas de controle da criminalidade consistentes. E para começar, é primordial um diagnóstico mais preciso do fenômeno. Essa é a principal contribuição deste livro.

Sobre os autores – Luís Flávio Sapori é doutor em Sociologia pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj) (2006). Foi secretário-adjunto de Segurança Pública do estado de Minas Gerais de janeiro/2003 a junho/2007. Coordenou o Instituto Minas Pela Paz no biênio 2010-2011. Atualmente é professor do curso de Ciências Sociais da PUC Minas e coordenador do Centro de Estudos e Pesquisas em Segurança Pública (Cepesp/PUC Minas). É autor de diversos artigos científicos e de livros, destacando-se Segurança pública no Brasil: desafios e perspectivas, publicado pela Editora Fundação Getúlio Vargas, e Crack: um desafio social, publicado pela Editora PUC Minas.

Gláucio Ary Dillon Soares é graduado em Sociologia e Ciência Política pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1958), graduado em Direito pela Universidade Cândido Mendes (1957), mestre em Direito pela Tulane University (1959) e doutor em Sociologia pela Washington University em St. Louis Mo (1965). Atualmente é pesquisador sênior nacional do Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Iesp/Uerj). É um dos principais especialistas brasileiros na temática da segurança pública, com publicações referenciais: Não matarás, publicado pela Editora Fundação Getúlio Vargas, e As vítimas ocultas da violência na cidade do Rio de Janeiro, publicado pela Editora Civilização Brasileira.

Ficha técnica do livro

Título: Por que cresce a violência no Brasil?
Autores: Luís Flávio Sapori e Gláucio Ary Dillon Soares
Número de páginas: 144
Formato: 14 × 21 cm
Preço: R$ 35,00
ISBN: Autêntica: 978-85-8217-505-7 | Editora PUC Minas: 978-85-8229-023-1

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s