Os monstros que nos atacam (as células cancerosas)

 

 

As células cancerosas não são visíveis a olho nu. Vistas através de microscópios adequados, elas parecem muito feias e ameaçadores. As células de cânceres diferentes apresentam algumas semelhanças, mas estão longe de serem iguais. Essa demonstração visual elimina um erro causado pela desinformação: os cânceres diferentes não são o mesmo câncer, capitaneado pela mesma célula cancerosa, só que localizada em lugares diferentes do corpo humano.As células são diferentes e os cânceres são diferentes. Os muitos que já sabiam disso, perdoem o repeteco, mas há muitos que não sabem.

Célula se dividindo

Essa foto é de uma célula cancerosa da próstata fazendo o que ela faz muito bem: se divide e multiplica. Quando isso acontece, pior para nós. Notem os pedúnculos buscando alimento (sempre ou quase sempre encontrável no sangue).

Nas imagens a seguir podemos ver células de outros cânceres. Veremos muitas semelhanças e algumas diferenças:

Célula do câncer do pulmão se multiplicando

Mesmo sabendo que o corante usado pelos pesquisadores varia de um para o outro, há diferenças discerníveis. Essas diferenças são muito, muito importantes, porque explicam por que a maioria dos pacientes com um tipo de câncer é curada, mas a de outro câncer, mais agressivo, morre. Explica porque uns são letais e outros não, porque o tratamento para uns é de tal tipo, mas não para outros.

Slide2

Vejam essas imagens de um câncer do cérebro. Por que “ um”? Porque há vários tipos de câncer do cérebro; um deles,  o glioblastoma, é dos piores que há.

Slide3

Esses pesquisadores usaram um colorante (ou lente) diferente, mas mostra os pedúnculos na mesma busca frenética por alimento.

Slide6

Outra imagem com algumas características iguais. O centro com seus tentáculos em busca de alimento. Isso dentro do nosso corpo. Nos faz sentir mal, ter um poderoso inimigo dentro de nós mesmos.

E a metástase? É mais fácil de entender usando o câncer da próstata como exemplo: metástase é a presença de células (em quantidade significativa) de um câncer em outro lugar. Se houve prostatectomia e há células cancerosas, há, num sentido literal, metástase. O PSA um dos anos depois da cirurgia nos diz que há metástase, células cancerosas produzindo PSA em algum lugar. Por isso, podemos ter câncer da próstata metastizado em outro lugar, em outro órgão, usualmente intestino, fígado, bexiga, rins, pulmão e até cérebro. A metástase mais comum e dolorosa é para os ossos. Repito: você pode ter câncer que se originou na próstata, com células da próstata que migraram para o cérebro, encontraram  um ambiente propício e se multiplicaram.

Eu gostaria de ter mais feedback de vocês. Os dois blogs sobre câncer da próstata, muito parecidos, já tiveram mais de um milhão de acessos, mas tive pouco feedback. As respostas para perguntas e sugestões para casos individuais devem ser respondidas pelo seu médico e o leitor ou leitora pode e deve aprender a fazer busca pela internet. Ter um conhecimento mínimo independente é crucial para evitar que cometamos besteiras que custam caro.

FELIZ 2014

GLÁUCIO SOARES  

       IESP/UERJ

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s