Australianos desenvolvem um tratamento que reduz a morte de pessoas que sofreram derrames

Pacientes de derrame que sigam três protocolos para controlar febre, açúcar e como engolir tem uma probabilidade que é 16% mais alta do que controles três meses mais tarde, e ainda por cima estão com mais independência. Essa pesquisa foi feita na Austrália, país no qual os derrames são a segunda maior causa de morte e de invalidez.

O que faz esse protocolo? Muitos pacientes têm danos cerebrais irreversíveis, conseqüências do derrame, mas o tecido ao redor pode ser preservado pelo protocolo, que controla a febre, o açúcar e como os pacientes engolem.  

A pesquisa foi feita em 19 centros de atendimento de pessoas com derrame agudo, com mil e seiscentos pacientes.

Leia mais: www.acu.edu.au/qasc.

Gláucio Soares

IESP/UERJ

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s